quinta-feira, 15 de maio de 2008

Jetman - Homem Jato





Yves Rossy,48 anos, piloto de teste da Airbus, pulou de um pequeno avião na altitude de 8000 pés, numa queda livre, desdobrou as asas rígidas de 10 pés presas às suas costas, passou rapidamente para fase de vôo planado, disparou as quatro turbinas e acelerou para 190 MPH acima dos topos das montanhas.

Ele voa movendo seu corpo, para efetuar curvas e loops com o que pareceu ser sem esforço.

Após uma última onda da multidão observando, Rossy mergulhou suas asas como ele preparou para os testes de resistência, uma manobra que ele não tinha experimentado antes: ele virou sobre suas costas e nivelou novamente, executando uma rolagem lateral perfeita de 360 graus, o que para um pássaro seria impossível.

"É como uma segunda pele", disse Rossy mais tarde após pousar nas margens do Lago Geneva.

"Se eu curvo para esquerda, eu vôo para esquerda. Se eu cutuco para direita, eu vou para direita", completou Rossy.

Os 4 motores de fabricação alemã que ele usa atualmente provê 200 Libras de empuxo cada um, o que é suficiente para capacitar as asas dobráveis de fibra de carbono, que pesam 110 libras e seu macacão de
vôo com 120 libras, efetuarem subidas com razão de 200 pés por minuto.

"Fisicamente, não é absolutamente estressante", disse Rossy.

Rossy e sua máquina de voar navega a 160 MPH.

"É como estar numa moto. Mas eu tenho que focar em relaxar, porque se eu demonstro qualquer tensão, eu começo ziguezaguear em volta", disse Rossy.

Se algo dá errado, há sempre uma alavanca amarela para descartar as asas e abrir um pára-quedas auxiliar.

"Eu tenho tido muitos momentos "ooops!", disse ele.

O custo e esforço envolvido são simplesmente muito alto para ele ser produzido comercialmente, ele diz.

Até aqui, Rossy e seus patrocinadores têm despejado mais de £123.000 = R$ 395.000 e incontáveis horas na construção do dispositivo, mas, ele acredita que asas similares com propulsão à jato, um dia, será mais largamente disponível para paraquedistas experientes.

Isto é, se eles não se perderem na concentração, ao ver o panorama de tirar o fôlego acima dos Alpes Suiços.

"Eu me concentro tão forte no vôo e procedimentos, que eu realmente não tenho tempo para desfrutar o panorama", disse Rossy.
Próxima aventura atravessar o Canal da Mancha.
video

Nenhum comentário: